O que parecia ser descartável
E ignorado em um canto
Tornou-se uma peça afável
Linda de ver, um encanto

União de vários pedaços
Trouxe a mim uma visão
Cada alma, um retalho
E a vida no coração

Devemos somar nossas luzes
E agregar os nossos dons
Cobrir o leito de lume
Deixar reverberar os sons

Aprender com a simplicidade
E reconhecer o erudito
Priorizar a igualdade
Completar o nosso imo

Todos guardam em seu relicário
Maravilhas desconhecidas
O amor resume como um sumário
A compreensão do sentido da vida

Vejo a mão divina do artesão
E tenho comigo a esperança
De ver restaurado cada coração
Com a pureza de uma criança

Onde os frutos do egoísmo
Da soberba e da ambição
Sejam lançados no abismo
Junto ao mar da solidão

Então o interno exultará
De mãos dadas a sabedoria
Nos veios da alma a paz fluirá
Patchwork de cores infindas

Por Michele Mi 
Tema sugerido por: Renato Luiz Ferreira – São Paulo/SP