Mesma linhagem
Mesmo coração
Uma só base
Um só refrão

Temos duas descendências
Assentadas em nosso ser
Uma que é passageira
E certo será seu fenecer

Necessário é plantarmos
A semente do eterno
Na consciência o gerarmos
Transformando o nosso interno

O provisório um dia se esvai
Deixando uma lacuna no peito
A flor murcha, a pétala cai
As lágrimas escorrem no leito

Mas lá no fundo da alma
Existe uma luz acesa
Querendo aquecer sua morada
E dissipar toda tristeza

Devemos andar com a sabedoria
E compreendermos nossa razão
Formarmos uma eterna família
Uma verdadeira união

Sangue nobre da realeza
Sentimento celestial
Humildade e pureza
Frutos do divinal

No amor não há acepção
E sua visão é uma só
Unir cada coração
E desprendê-lo de todo pó

Por Michele Mi♥️
Tema: Arlete Cristina – São Paulo

*”Participe você também dos meus poemas!”
Faça a sua sugestão, dê um tema e ele poderá ser veiculado aqui!