Alma ao relento
Só restaram as lembranças
Perdeu-se no tempo
Chorou feito criança

Não descobriu-se
Não valorizou-se
Peito sucumbiu-se
Ampulheta findou-se

O que reflete em teu espelho
Qual a tua simetria
Vestes bordada em vermelho
Ou tons de paz e alegria?

Águas perenes cessaram
Não buscaram entendimento
Da verdade não provaram
Ficaram no mar do esquecimento

O que era pra ser, não foi
Não plantou a semente infinda
A lavoura não vingou
Não colheu os frutos da vida

Até nas rimas da poesia
Me contaram que o girassol chorou
Ignoraram a sabedoria
E a poeta metaforou

Mas o sol ainda brilha
Neste céu tão azulzinho
Tempo oportuno para reluzir
A riqueza que mora no imo

Profundezas a desvendar
E maravilhas para ver
Ainda pode se encontrar
É tempo de renascer

Por Michele Mi 
Tema: Simone Nascimento – Taboão da Serra/SP