Uma coisa tão singela
Tão pura, cheia de nobreza
Como as flores da primavera
Que encantam por sua beleza

Não imaginava tal loucura
Desviou da sobriedade
Perdeu toda candura
Tornou-se casa de maldades

Pensamentos inversos
Contrário da coesão
Esfriou, tal qual o inverno
Petrificou o coração

Mentes ensandecidas
Andam contrário a razão
Não enxergam a fonte da vida
A alma vive na solidão

Perdeu o juízo
Corrompeu o sentido
Não encontram o tino
Atrofiou o raciocínio

A lógica é invertida
Visão embaçada e turva
Ignorou a sabedoria
E carregam um complexo de culpa

O remédio para curar
Habita em cada peito
Mas recusam-se a tomar
As doses de entendimento

Mentes ensandecidas
Andam contrário a razão
Não enxergam a fonte da vida
A alma vive na solidão

Por Michele Mi 
Tema: Simone Nascimento – Taboão da Serra/SP