Uma busca tão árdua
E um sol escaldante na tez
Um peito no fio da navalha
E a alma em sua embriaguez

Perguntas e indagações
Fui longe em busca da resposta
Cansaço, solidão
E um bater à minha porta

Onde está aquela verdade
Que sacia e me cura
O meu voo da liberdade
Mesmo que seja dura?

Olhos fixos nas letras
Diz que me diz de outrem
Ruídos na maçaneta
Por minha janela vejo alguém

Mão divina acenando
Querendo chamar minha atenção
É no seu mar adentrando
Que enxergará sua razão

O regresso a mim mesmo
O retorno ao lado inverso
Quero a paz e o sossego
E desvendar meu universo

É tão simples a sabedoria
Que confunde a alma inconstante
Não discerne o sabor da vida
Colecionando instantes

Mas resolvi abrir minha porta
E escancarar minha janela
A compreensão é o que importa
Manifestar em minha tela

Por Michele Mi 
Tema sugerido por: Cristiano Gomes – Imperatriz/MA