Deparei-me com uma porta fechada no tempo da mocidade, mas a luz da sabedoria raiou e ela se abriu, então enxerguei a verdadeira liberdade. O elo perdido encontrei, o grande “X”da questão, minha própria consciência, casa de habitação. Vi que sou eterna e não tem como voltar ao inconsciente, então é lutar e vencer a guerra, sair vitoriosa e contente. A saída não está fora, está dentro de cada interno, a luz da vida um dia vai embora, cuidemos hoje do nosso interno.

Não se trata de poucos dias e nem de alguns anos, mas de fato é uma eternidade e também um transpor de planos. Nossa consciência é uma grandeza e é pra ela a redenção, a vida tem uma sequência, se não seguirmos com ela, o fim será triste na escuridão.


Redenção eterna, por ela cada alma
deve lutar, tem que haver transformação interna, um verdadeiro metamorfosear, deixar o velho sujeito e fazer o novo em si mesmo brotar, uma gestação no ventre da alma, este é o verdadeiro libertar. Cuidemos de nossa consciência olhando para nossa eternidade, necessário é extrair o puro, chegar a essência, para voarmos em liberdade.

Por Michele Mi