Uma bolha flutuante
Uma esfera demarcada
Luta cravada e constante
Até o fim dessa jornada

Golpes de todos os lados
Mas a alma é indestrutível
Aliar-se ao anjo alado
É o caminho para não sucumbir-se

Um campo de provas
Que a consciência deve passar
Trilhar o caminho do Golgota
Serena e sem se abalar

Onde nada que for passageiro
Intimide ou cause medo
Peregrino e forasteiro
Porção do céu por companheiro

A vitória será certa
Para quem determina vencer
Pela verdade se liberta
Exala luz pelo seu ser

O coração deve ser forte
Guerreiro e destemido
Atravessar a barreira da morte
Chorar suas lágrimas sozinho

Tem dias que o suor derrama
E as pernas ficam cansadas
Mas ao alto a alma clama
E a chuva a deixa revigorada

O ringue da vida é real
E inimigo é o que não falta
Bordar-se do divinal
É o combate, é a causa

Por Michele Mi