São tantas as palavras
Que saem do coração
Como sementes são lançadas
Atravessando a imensidão

À procura de uma terra fértil
Um campo para se alojar
Na ação sublime e sútil
Da vida a desabrochar

Quero ver o florescer
E o exalar dos sentimentos
Um verdadeiro renascer
Dissipando os tristes tormentos

Interna metamorfose
Uma mudança radical
Concentração, osmose
Até refletir o celestial

Mas há de ter cautela
Com sementes adulterinas
Feche a porta e a janela
Caminhe com a sabedoria

Do céu cairá a chuva
Ar de contentamento
A intenção deve ser pura
Este é o grande segredo

Cuide bem de sua alma
Com zelo e dedicação
Estarás seguro na palma
Da perfeita e divina mão

Os frutos hão de vingar
E feliz será a colheita
A paz em ti habitará
Consciência honrada e eleita

Por Michele Mi 
Tema sugerido por: Márcia Rocher – Apucarana/PR