A inveja é um sentimento de desejar e possuir aquilo que os outros tem, é cobiçar ardentemente aquilo que pertence aos outros. O invejoso nunca se contenta com o que tem, mas sempre quer o dos outros, porque julga que o dos outros é melhor do que o dele. Quer matar um invejoso do coração, é só chegar perto dele com alguma coisa melhor que a dele, um carro, por exemplo, pronto, aquilo já remói ele por dentro. Se pudesse ele tacaria uma pedra no carro, pois isso lhe daria prazer. O invejoso não consegue ver ninguém feliz, pois de alguma forma, ele tenta estragar, ou com palavras, ou com gestos, ou com ações. Os invejosos são os vilões deste mundo, como um político que disse: no mundo ainda tem muitas pessoas boas, mas o que acontece é que os maus agem, e é aí que vem a sensação de que todos neste mundo são maus, pois os bons não agem.

Sem dúvida a inveja é uma doença da alma, e quase todas as doenças da alma são impossíveis de curar, pois as doenças da alma se instalam lá na raiz da consciência. É só notar quando uma consciência começa a negar alguma coisa, sem motivo, é porque ela tem alguma culpa no cartório. O invejoso sempre começa dizendo: não é por nada não, mas… ele começa negando, mas depois fala tudo o que sente no coração. Ele sempre prevê o mal dos outros, e de que ele está avisando, mas isto é um remédio para aliviar a sua alma. E se ele vê os outros em apuros, daí ele se delicia. O invejoso tem prazer na desgraça alheia, ele sempre torce para que os outros se deem mal na vida, para satisfazer-se na sua própria miséria, pois este desejo sempre reverte a ele mesmo. O único prazer do invejoso que o faz sentir-se bem, é falar aos outros que ele está bem, mas por dentro ele está remoendo.

O invejoso vive mais em prol dos outros do que em prol de si mesmo, ele cuida mais da vida dos outros do que da sua própria vida. É o dito: se eu não como, eu jogo areia. Se o invejoso se voltasse a si mesmo, e raciocinasse, viveria bem melhor, mas como ele só se preocupa com o que os outros tem, deixa de viver para si mesmo. Se o invejoso não se preocupasse com os outros e só se preocupasse consigo mesmo, com certeza já viveria muito mais feliz.