Eu sou a avareza, que faço a tua consciência ter amor ao dinheiro. Eu sou a ambição que ligo a tua consciência a este mundo. Eu sou a vaidade, que prendo a tua consciência as aparências da carne, eu não sou o máximo? Eu sou a lascívia, que prendo a tua consciência ao sexo. Eu sou o irado, que irrito a tua consciência o tempo todo.

Eu sou a paranoia, que faço a tua consciência ver pelo em ovo. Eu sou o soberbo, o melhor de todos eles. Eu sou o fracassado, que faço a tua consciência ter medo de tudo, mas nunca consegui. Eu sou o ciúme, e não deixo ninguém tocar no que é meu, olha pra lá sua sirigaita, este aqui é meu. Meu, eu sou o bom, meu carro é vermelho e eu não uso espelho para me pentear, eu sou bom, o bom, o bom. Eu sou carnal, não consigo sentir o espírito, não tenho nada com ele. Eu sou a garota problema, eu não tenho problemas tá meu bem, eu sou o problema.
Mas onde fica o vindo de Deus dentro deste quadro? Evidentemente que fora da consciência, só esperando Deus o chamar para acabar com essa festa. Mas ele veio fazer o que neste mundo? Justamente buscar a tua consciência. Mas ninguém falou a ela que ele veio busca-la? Falou, mas ela se perdeu pelos sentimentos da carne, e me parece que a carne não vai cedê-la para ele. Elas não agem como está escrito: entrega a tua alma ao senhor, confia nele e ele tudo fará. Mas cadê que alguma consciência se entrega a ele? Elas querem mesmo é se entregar aos desejos da carne, então, como o espírito fica? É, não fica.