A palavra metamorfose significa transformação e normalmente é usada no sentido literal, quando um ser se transforma em outro. Ao e quando falamos em metamorfose, logo nos remete a transformação pela qual passa a borboleta, que sai de uma condição asquerosa, repugnante de uma lagarta rastejando pelo chão, em que todos a desprezam, porém nela existe um potencial, o de voar. Recolhe-se a sua crisálida, onde parece que sua vida acabou, passa por um período de quietude, de isolamento, enquanto transforma-se de dentro para fora, surgindo então uma linda borboleta, livre para voar. Certamente é um período de dor, mas necessário para que a beleza e a leveza surjam e assim possa alçar voos superiores, os quais lhe possibilitarão outras paisagens, além de ser vista e admirada, realizando assim o seu ciclo natural.

Usando de analogia, em nós também devemos realizar o mesmo processo, haja visto que mudamos o curso natural dantes estabelecido pelo Criador, sendo então necessário o metamorfosear, o nascer de novo. Como? Veja, Jesus quando inquirido sobre tal questão por Nicodemos , respondeu: “pelo espírito, pois a possibilidade de voltar ao ventre de sua mãe, não existe”. Portanto, esse novo nascimento se dá na consciência, fruto do desejo de Deus, onde tudo se dá, onde tudo se armazena, onde deve acontecer a real e verdadeira transformação. Paulo nos incita à “transformação pela renovação da vossa mente, para que experimenteis qual a boa, agradável e perfeita vontade de Deus”. O Homem foi criado perfeito com o intuito de produzir a consciência para o beneplácito de seu Criador Deus, entretanto beneficiou-se do fruto (a consciência), degradou-se, deformou-se de tal forma, que assim vê-se no fruto apenas as características do pé que o produziu, pois continua preso, alicerçado a ele, ou seja, características carnais, advindas do engano que impera, e é preciso metamorfosear.

A arte da metamorfose, sim é comparada a uma arte porque é um trabalho cuidadoso, minucioso, criterioso, transformador, como de um artista ao lapidar, tecer, moldar, bordar, pintar, etc, e passa pelo conhecimento, reconhecimento, entendimento, prática e realização do propósito de Deus. Esta é a renovação, pois nos alimentaremos do “leite racional”, a palavra, o qual nos conduzirá à, e na vontade do senhor. O guia para a transformação já está em nós desde o sêmen, o espírito de Deus, que age em nós, a vida e vida eterna. O Homem sem Cristo, o espírito da vida, como senhor da consciência, é comparado a uma lagarta rastejante, impregnando-se das sujeiras deste mundo, é preciso metamorfosear. Contudo, aliados a ele, impulsionados pelo querer, juntamente com a sabedoria, teceremos e bordaremos
novas vestes. Juntamente com ele, lapidaremos a pedra bruta até que seja joia rara, nos pintaremos com as cores eternas da vida e moldados à ele em um só seremos achados. Então toda a pureza e leveza da transformação, ainda que doa, será vista em nós, pois estará refletida a beleza de Cristo, comprovando a realização da arte da metamorfose.

Por Loir Xavier