Mãos, órgão do tato, por onde tocamos e sentimos a superfície de todas as coisas. Mãos, quanto já não seguramos por elas! Uma flor, um espinho, um filho! Através dela expressamos um dom, uma arte, uma saudação, um até breve, um insulto, um falar por meio de gestos, a vida! Pelas mãos também demonstramos nossas escolhas, por isso como forma de expressão, podemos dizer que temos a vida nas mãos e a temos! Bem verdade, é que a vida em nós habita e é manifestada pelo espírito santo de Deus, o verbo que nos permite o existir, bem como o mover e o agir.
Estamos dentro de um propósito, cujo qual é de Deus! Foi posto frente ao Homem dois caminhos: o da vida e o da morte! Está nas mãos de cada um, ou seja, na consciência, que é o órgão do raciocínio, que pensa, forma ideias e determina, a escolha sobre qual destes caminhos trilhar, sabendo de antemão que um culmina na vida eterna junto a Deus, enquanto que o outro será de angústias e tormentos eternos.

Toda escolha deve ser baseada em ao menos um mínimo de conhecimento, pois como recusar ou aceitar algo sobre o qual nada sei? Eis porque é importante o buscar, afinal só o conhecimento e o entendimento obtido pelo raciocinar trará a luz de todas as cousas, bem como suas consequências. Em suma, quem em pleno juízo, depois de experimentar o doce sabor da vida que só encontramos no espírito de Deus, recusar-se-á em tomá-la em suas mãos? Muitos, pois preferem o instante ao invés do eterno. A vida nos convida para com e por ela pensar, falar, agir, sentir, viver, somente em nossas mãos está o decidir e o realizar!

Por Loir Xavier