À priori, somos criações! Somos feitos carne e produzimos a consciência e através dela, em espírito, nos tornamos em imagem e semelhança ao Pai, no plano espiritual, haja visto que a carne é apenas o pé que possibilita a produção do fruto, pois quando e se este for colhido, ela morre e seca.
Deus é espírito! Para que sejamos Dele filhos, precisamos nos tornar semelhantes à Ele e para isso temos que realizar em nossas consciências o Seu propósito, o que é uma condição, mostrando com isso que Seu amor não é incondicional. Pois que amor é esse dito incondicional, mas que impõe condição? Por certo que a consciência tem a sua escolha, entretanto para desfrutar do amor de Deus e ser herdeiro legítimo, deverá sair da condição comum a todas as criações e alcançar a dádiva de ser filho, para isso somente se cumprir com o propósito no qual está inserido e que consiste em deixar a carne que reina e assola as consciências, sob o domínio do engano.
Amor incondicional é mais um subterfúgio que o Homem lança a mão com a finalidade de justificar-se ante sua condenação eminente ao vazio eterno, não apercebendo-se de que quem o justificará está a porta e bate, basta abrir para que o espírito de Deus entre e complete a obra!

Por Loir Xavier