A consciência que tem o conhecimento e o entendimento de que está dentro de um propósito e que é de Deus, não está mais vivendo na ignorância de não conhecer a verdade. Assim como o fato de saber das consequências da não realização do mesmo, pois torna-se ciente de tudo em seu proceder. Inclusive da escolha sobre qual existência quer viver, se carnal ou espiritual. Se carnal estará decretando seu fim, renunciando a sua eternidade com Deus e jogando-se ao vazio eterno. Se espiritual, haverá de passar pelo processo de desligamento de tudo que diz respeito à carne, até encontrar-se apta para ser o habitat do espírito. Uma escolha denuncia a renúncia da outra, não há conchavos ou acordos, ou se é ou não é. Vejo que assim como escolher ou renunciar é algo que tem que partir da própria consciência, cabe também dela o analisar-se verdadeiramente e profundamente para certificar-se o quanto tem do espírito bem como se já está totalmente livre da carne.

Por Loir Xavier