Há pouco sai da ignorância! Mas ao que hoje me parece, sinto que nunca estive lá, porque tal condição está a cada dia mais longínqua. Hoje tenho um pouco do entendimento do “eis que tudo se fez novo”. E tudo se fará, eu creio! Sei que não é apenas questão de crer, pois como diz um ditado, “até o diabo crê”, mas principalmente de ser e isso consiste em ação, em realização. Pois bem, detenho um pouco de conhecimento e entendimento sobre o propósito de Deus, digo pouco, por que todos os dias me é acrescentado mais e mais, assim como deve ser meu proceder diante disso. Sei que em mim há três elementos, a carne, o espírito e a consciência. Dentre esses, já me reconheço, sou a consciência! Mas posso ser também o espírito, se me fizer uma com ele, em simetria, tendo-o como corpo eterno.

Para tanto, é preciso purificar-me até que alcance a condição para a minha consciência de ilibada, limpa, alva, sendo assim do desejo Dele! Fui direcionada à avaliar minha consciência diante de Deus! Bem, não está pronta para ser a morada do Senhor, embora eu o sinta me guiando, aconselhando, dando as coordenadas aos meus passos. Passos esses, que em determinadas raízes plantadas no vasto campo de minha consciência, tropeçam e cambaleiam. Tenho convicção de que se não os firmar, mantendo-me em pé e arrancá-las de vez com todas as suas ramificações, serei lançada fora, com todo o lixo do qual não me limpei. Poderia ser hipócrita e escrever palavras bonitas, mas mentirosas e frívolas, na intenção de agradar aos ouvidos e olhos que as ouvirão e lerão, mas prezo pela verdade, afinal a verdade habita em mim e de mim, tudo o sabe. Contudo, mesmo a parcos passos, estou voltada para o senhor, em realizar o intento do Pai em minha consciência e torná-la uma joia digna de ser chamada filha!

Por Loir Xavier