A palavra base tem vários significados e depende do contexto a que será referido. Base é: apoio, suporte, sustentação, início, essência, origem, conhecimento, preparo, instrução, educação, dentre outros.
Jesus exemplifica claramente sobre base, na parábola intitulada de A casa edificada sobre a rocha, onde em sua narrativa conta sobre o Homem que edificou sua casa sobre a rocha e quando vieram as chuvas, as correntes e os ventos sobre ela, não foi abalada. Em contrapartida, aquele que construiu sua casa sobre a areia, quando vieram as chuvas, as correntes, os ventos sobre ela, não resistiu, caiu e grande foi sua ruína. Nessa narrativa, exemplifica a consciência que tem como sustentação, que firma-se, ouve, entende, busca instrução e conhecimento junto ao espírito de Deus, para um perfeito proceder durante sua vivência, bem como para a educação e preparo dos seus, a fim de cumprir com o intento de Deus e que por mais que as tormentas dessa vida possam querer tragá-la, nada a abalará, pois seu alicerce é e está no senhor! Por outro lado, o oposto acontece com a consciência que tem como base a carne, esta sempre será abalada. A carne não oferece estrutura ou sustentação alguma, afinal é uma existência passageira, tudo dela ruirá, tornar-se-á pó e ainda a lançará ao vazio do nada.                                                                                                                                                                                               A consciência que tem como base a carne é imprudente, inconsequente, fraca e suscetível as armadilhas do engano, pois nele encontra satisfação, realização de seus desejos e de geração em geração, grande será a sua ruína, pois não ouviram dos pais, tão pouco buscaram por si e para si, portanto não ensinarão aos filhos sobre o intento de Deus! Eis a situação das consciências hoje e como diz uma canção: como explicar o que se passa aqui? Não há explicação! Vê-se claramente que são fundamentadas na carne que morre, sofrendo de seus tormentos, e quando vem as chuvas, as correntes, os ventos, tudo torna-se em ruínas, o que sobra são as angústias de uma eterna escuridão!                            Em salmos 18:2 o salmista nos diz: “O Senhor é a minha rocha, a minha fortaleza e o meu libertador; o meu Deus, o meu rochedo, em quem me refúgio; o meu escudo, a força da minha salvação, e o meu alto refúgio!”, esse versículo sintetiza a consciência que tem por base o senhor, pois a nada temerá e nada a abalará!

Por Loir Xavier