Como convencer as consciências da verdade de Deus se cada uma delas criou para si sua própria verdade? Como adoçar suas bocas com o mel da palavra se preferem o amargo do engano ? Como dizer-lhes do caminho reto e perfeito, se preferem aquele cheio de imperfeições por onde perdem -se completamente? Como mostrar-lhes a vida se preferem o que morre? Como fazer-lhes mergulhar no profundo em busca de si mesmos se não dispõem-se a lançar-se nas águas? São muitos, muitos os questionamentos e uma chama ardente e crescente no peito de que a luz ecloda e o breu se esvaneça para e em cada consciência. Que desfrutem o doce e salutar sabor do alimento vindo do céu e como flores a desabrochar que exalem o bom perfume de Cristo!

Por Loir Xavier