Eu não quero ser achada nua! Quero me revestir com vestes alvas e me adornar do meu senhor! Quero ser um fruto vistoso, de doce sabor, que cause prazer aos olhos e traga desejo e delícias ao paladar quando degustado. Não quero me esconder por entre as folhagens do pé de árvore de onde nasci, mas quero estar aparente para receber os nutrientes que farão de mim salutar. Quero receber da luz os raios necessários para o meu crescimento e fortalecimento. Quero sorver as porções das águas do céu que me lavam e tiram as impurezas oriundas dos arredores que me cercam. Quero ser o fruto que deveria ser produzido e para o qual o Senhor Deus projetou e formou tudo que há. Quero ser aquela que ao ouvir o Seu chamado dirá: eis-me aqui, meu amado Senhor!

Por Loir Xavier