Verbo imperativo, que demanda ordem, geralmente usado com o que está caído, prostrado, sem forças!

Estamos dentro de um propósito, e sim faz-se necessário afirmar e reafirmar tal fato! Sob sua luz é perfeitamente perceptível a condição em que encontra-se a humanidade, ou melhor, as consciências completamente caídas, afundados em dores, lamentos, entregues em seus enganos.

Levante, diz respeito as anomalias presentes na consciência. Vemos inúmeros cegos, surdos, mudos, paralíticos, ansiosos pela cura, pela liberdade, contudo sem o devido direcionamento e discernimento de onde buscar. Levante, diz respeito a cura e para tal feito é necessário o encontro com a verdade! Sim, com a verdade de Deus e consequentemente com a própria, pois se verá como é, e saberá como deve ser, erguendo-se do chão. Entretanto, é necessário levantar e andar, pois a medida que se avança no caminho, os pés já não resvalam e nem tropeçam, mas firmes caminham. Vale lembrar também que depende exclusivamente de cada consciência a disposição em levantar, em sair do lamaçal, a fim de resplandecer a maravilhosa luz do Senhor. Levante, diz respeito a mim! Sim, também fui como um cego à beira do caminho. Porém, a mim é oferecido um tesouro, bem como a todos, que há muito excede ao ouro e a prata, um tesouro de valor inestimável, o meu senhor, a minha porção do Eu Sou, o espírito santo de Deus! Posso dizer que estava perdida, mas Nele me encontrei! Estava morta, porém, Nele vida posso ter! Cabe então a pergunta: o que tenho feito eu pelos benefícios que me tem feito? Exorto-vos:

“Levanta-te tu que estás dormindo e Cristo te iluminará!” Sim, rios de água viva fluirão, não terás mais a necessidade da luz do sol, pois “a glória do Senhor resplandece sobre ti!” Levante!

 

Por Loir Xavier