Navalha é um instrumento que possui uma lâmina cortante que se dobra até ocultar o fio no cabo. Usada para cortar ou aparar os cabelos, para cortar papel e também na guilhotina.

Por causa do dano cortante que pode ser causado pela língua usada de modo enganoso, ela é comparada a uma navalha.

No fio da navalha é uma forma de expressão usada quando o interlocutor quer referir-se à condição de outrem ou até mesmo de si próprio, indicando que tal situação é danosa, arriscada, perigosa, extrema.

Sob o olhar do propósito de Deus, é nítido perceber que as consciências viventes caminham no fio da navalha, com a morte eterna eminente e nem percebem, pois creem estarem vivendo a verdade. A lâmina carnal afiada corta suas almas, ferindo-as de morte por suas próprias escolhas, cega a visão tirando-lhes o entendimento e errantes seguem firmes rumo ao precipício eterno, rumo a uma queda de onde jamais se levantarão. É preciso enquanto há tempo, buscar o sentido da razão de existir e encontrar a vida em si.

No fio da navalha também aponta para um momento decisivo, pois como se diz: “não são os que sabem, mas os que praticam” e ao obter o conhecimento da vontade de Deus, faz-se necessário o decidir entre ir e ficar. E essa escolha resultará em atravessar ou não o vale, resultará em vida ou morte eterna.

Escolha, esse é o fator preponderante à toda consciência e o gatilho para sair das situações que lhe trarão dano eterno ou para continuar caminhando no fio da navalha!

 

Por Loir Xavier