Aspiração, querer, vontade, ambição ou necessidade que se quer satisfazer…enfim desejo! É a mola propulsora de uma consciência para que esta tenha ações em favor de seus objetivos. Objetivos esses que em sua totalidade referem-se a vida carnal, sendo o meio em que vive, aos seus entes queridos, ao círculo construído através dos anos de vivência. Pois é, a ação se dá, para com a existência cujo qual a consciência manifesta. E é justamente tal existência, ou seja, a carne, quem provoca o desejo de ter o que o mundo, que jaz no maligno oferece, e que joga a consciência ao chão. Lá, cria raízes profundas e que provocam reação contrária, tornando a consciência raquítica, oca e seca, devido às fortes ligações sentimentais.
Entretanto o salmista diz que:” ainda que caia, não ficará prostrado, pois o Senhor lhe segura pela mão!” Contudo, é preciso o querer, o desejo de estender as mãos em direção à vida e tornar-se nutrida, robusta, salutar, forte, preparada para receber o filho da vida!

Por Loir Xavier