Como buscar a razão de suas vidas ou o propósito de Deus, se suas consciências estão abarrotadas do “eu”? Como executar em si a função para o qual foram criados se têm como absoluto em si o favorecimento e não o favorecer? Ser beneficiado e não o benefício? E tudo se comprova claramente em suas relações, pela maneira como as desenvolvem, ou seja, vale quanto pesa! O medo provoca o clamor e de angústia em angústia suas prisões vão se solidificando, atormentando, aprisionando-os. São candeias vazias que não estão ocupando o tempo dado para encher-se com o puro óleo do espírito a fim de resplandecer sua chama e por ela iluminar-se. Para estes há muito o que temer por que a ordem é executar, realizar o intento, o medo e qualquer outra anomalia da alma não prevalecerá, pois o perfeito amor o dissipa!

Por Loir Xavier