Há um ditado que diz: um olhar fala mais que mil palavras! E como fala! Pelo olhar os sentimentos de uma consciência se revelam e ainda que se queira escondê-los, saltam aos olhos. Diz-se também que os olhos são as janelas da alma, abertas, desnudam uma consciência, percebem e são percebidos. Ao observarmos as pessoas, nos fixamos no olhar e então se formos perspicazes, percebemos a condição de suas consciências ao nos depararmos com a transmissão de seus sentimentos momentâneos, assim como com o estado. Vemos a condição quando demonstram pelo olhar as emoções do momento e o estado pelos sentimentos permanentes nela, pois, embora tais sentimentos não estejam aflorados, eles permanecem lá, tais como: a raiva, a tristeza, a frustração, a desilusão, a dor, os ciúmes e tantos outros causados pela existência carnal soberana nas consciências.  Em alguns há um lampejo de contentamento, alegria, satisfação, mas que duram apenas uns poucos instantes, pois logo a sombra escura da carne os cobrem.

Estamos dentro de um propósito e tudo é e está relacionado a ele. Temos em nós a existência carnal, esta por sua vez é alimentada diariamente pelas consciências e seus frutos transparecem aos olhos. É esta existência em sua soberania quem deve ser derrubada e colocada em seu devido lugar, para que a existência espiritual, o espírito de Deus, seja completamente e inteiramente a única essência da mesma.

Provérbios 15:20 diz que: “Um olhar sereno alegra o coração”. Em sua definição sereno quer dizer: tranquilo, ordeiro, que detona paz, manso. Podemos diante disso, afirmar que olhar sereno é aquele que transmite os frutos produzidos pelo espírito de Deus, de uma consciência verdadeiramente alicerçada Nele. E tais frutos são colhidos mediante o plantio e o cultivo da semente, irrigada pelas águas celestiais e devidamente absorvidas pela consciência. Um olhar sereno transforma qualquer situação e ambiente, acalma, traz conforto e paz!

Por Loir Xavier