A consciência contraiu o vírus! Este por sua vez proliferou, ramificou e de cada uma de suas raízes brotou um engano, que desenvolve com maestria o seu papel de prender, escravizar e acaba por dizimar qualquer tentativa de reação da consciência em ser livre. Doentes, acreditam piamente que em seus enganos há a cura. São raízes tão profundas, que ainda que experimentem de águas limpas e se sintam saciadas, voltam para a lama por estarem confortavelmente acomodadas as suas sujeiras. Não há remédio ou antídoto para a falta de querer de uma consciência, a menos que a própria tome as rédeas de si nas mãos e bravamente escolha lutar pela vida, do contrário o vírus a levará a morte eterna.

Por Loir Xavier