A palavra por si só nos leva a deduzir algo de imenso valor. Mas o que as consciências julgam ser precioso? Certamente que tal pergunta terá inúmeras respostas, mas nenhuma haverá de ser a vida! Não, não estou falando desta “vida” que vivem no dia a dia, estou falando da única e verdadeira vida, que está naquele que nos vivifica, o espírito de Deus. E ela, a vida, sequer é notada, mas está lá, dentro, no imo. Mas precioso para as consciências está justamente naquilo que se deve deixar, aniquilar para ser merecedor da vida. Está em bens, fortunas, diplomas, em quantos idiomas é fluente, roupas, sapatos, perfumes, status, selfies…tudo que sustenta seu vil relacionamento com a carne, que se acabará. Enquanto que precioso mesmo é ser fundamentado nesta pedra rara, mas ao alcance dos que a buscam. Que faz o cego ter visão, o surdo ouvir, o mudo falar, o paralítico andar. Que vai abrindo o caminho para toda consciência que fizer dela seu senhor da vida. Busque, enxergue, sinta, a preciosidade! Ela é o espírito de Deus em você!

Por Loir Xavier