Escamas, na zoologia “são estruturas em forma de placa achatada, que se dispõe no tegumento (conjunto formado pela pele e seus anexos) como uma armadura protetora.” Estão presentes em peixes, aves e répteis. Devem ser retiradas, quando do processo de limpeza dos mesmos, para que possam serem consumidos.

Pois bem, mais uma vez afirmo que estamos dentro de um propósito e tomando por base seus princípios, diante do conhecimento e entendimento adquirido em relação a este, podemos com toda certeza afirmar quão imensa é a cegueira das consciências que cobre os olhos de ver o espírito.

Usando de analogia, se para os peixes as escamas são uma proteção, para as consciências elas são um impedimento para que vejam a verdade de Deus. São camadas e mais camadas de escamas fixadas pelo engano atrofiando o raciocínio, cegando os olhos, impedindo que a luz do entendimento penetre e chegue à razão.

O tema “Tire as escamas”, nos direciona para três situações: Primeiro é o fato de enxergarmos o real propósito de Deus, que nos elucida sobre o porquê de nossa existência e que nos proporciona o encontro com o Senhor das nossas vidas, o espírito santo de Deus. Um exemplo clássico de tal feito é do nosso irmão Paulo (antes Saulo) que cego pelas tradições, pela religiosidade, era um algoz da verdade de Deus, mas que ao cair por terra suas escamas pôde ver a luz do Senhor, arrependeu-se e converteu completamente seus dias de vivência, vivendo plenamente para o Senhor, propagando à todos os povos a verdade do Cristo de Deus. Segundo, é a questão de enquanto consciência tirarmos as escamas de nossos próprios olhos, pois não basta ver, conhecer e entender o propósito, mas estabelecê-lo pela prática em nossas consciências.

Tirar, juntamente com o espírito de Deus, as escamas do engano impregnadas e que impedem que cheguemos a camada saudável onde o espírito quer habitar. Terceiro, “E porque reparas tu no argueiro, na escama, que está no olho do teu irmão e não vês a trave, a camada, que está no teu olho? Hipócrita, tire primeiro a trave, a camada, do teu olho e então cuidarás em tirar do olho do teu irmão!” Um dos pontos principais dentro do caminho da vida se resume em olhar seriamente para nós mesmos, para nossas próprias consciências, cuidar, zelar, tirar os empecilhos, tratar, “pois Ele fará a ferida, mas a curará!” Admoestar? Sim, mas principalmente nos corrigir, para que com autoridade possamos ajudar nossos irmãos a prosseguir no e pelo caminho.

 

Por Loir Xavier