Bastou um olhar
E no silêncio ouvia-se
Era a sabedoria a ecoar
Quando a caverna abria-se

Sua linguagem erudita
Fascina os corações simples
Letras formadas em poesia
Enriquece em amor aos humildes

Não deixe o pó exaltar
Antes coloca-o em seu lugar
A sutileza torna seu par
E seus pés bailarina põe-se a dançar

Em melodia sincronizam-se
E cada passo é ouvido
Em metáfora sintetizam-se
Para mostrar o sentido

Sua órbita é infinita
Não há quem consiga dar uma volta
A sabedoria é infinda
Só a adquire quem abre sua porta

Como a libra
É um linguajar
A fala do sábio é rica
E seu tradutor sabe amar

Quem a ouve
Possui sapiência
Não é doble
Mas sim tem ciência

Há necessidade em ser instruído
Dentro do caminho da vida
Só assim arranca-se espinhos
E traz forma a alma e a levita

A hermenêutica sentida
Vem da palavra transformar
É luz que fascina
É o amor a transbordar

Cale a poeira finita
Cale o coração de carne
Deixe falar a sabedoria
Ela fala pela verdade

Por Patricia Campos