Era uma vez um caos
Lugar onde habitavam ais
Entre falsos e maus
O imo era ponto de cais

Por entre a fresta da minha janela
Pude então observar
O mundo e sua guerra
E os pássaros a cantar

Comunicavam-se
Através de seus cantos
Era do céu a linguagem
Que traduzia-me o anjo

Outrora ouvi um poeta
Falando sobre os pássaros
Não ultrapassam a regra
Cantam dentro do compasso

Uma orquestra em obediência
Que traz a leveza à alma
Ó singela natureza
Maravilhosa é arquitetura da fauna

Não há paga
A cobrar pela sabedoria
Por meros pios trabalham
Comandados pelo autor da vida

Cada espécie canta em seu tom
Árvores por todos os lados
Do jeito que Deus ordenou
Cada um em seu espaço

Como é que pode?
Não possuem consciência
Bem parecem um Lorde
Harmonia em tamanha destreza

Identificados por seus sonidos
Não deixam a desejar
Ao soarem suavizam meus tímpanos
Sinto-me pronta a voar

Os sons que saem da Terra
Pela ordem do Arquiteto divino
São refresco para a alma que espera
Infindar-se neste infinito

Por Patricia Campos