Não eterno enquanto dure, mas eterno
De outra forma, não é sincero
É delicado, é singelo
Aquecedor do interno

Não se mede
Não se conta
O tempo nele não exerce
E com ele se conta em soma

Quando não, multiplica
Simplifica
Demonstração incontida
Palavra que não ramifica

É apenas sentida
Compreensão infinita
Mesmo com a dor da partida
Deixa ir, e assim sintetiza

Quem ama, sabe dosar
Põe à boca o remédio da cura
Não deixa o imo amargar
E pela água mata a secura

Transpassa o invisível
Atinge o inatingível
Ó sensível desmedido
Tocastes o céu e fostes suprido

Quer dividir
Tudo o que adquiriu
E sai à distribuir
A água do seu cantil

De gota em gota
Molha a terra
Afofa deixando-a solta
Liberdade que reverbera

A mesma que faz brotar
No âmago sem dimensão
Florescendo seu amar
Por toda a imensidão

Patricia C.