Não é só sobre cruzar a verdade
Mas há um encaixe
Onde a busca da veracidade
Não simula nenhum disfarce

É sobre saber
Onde e como caminhar
E a cada passo compreender
Que a verdade deve-se amar

É sobre nossa liberdade
Sobre raios adentrando nossas janelas
É quando a simplicidade
Atravessa em humildade nossas celas

Haverá o dia em que ela mostrar-se-á
Mesmo não a desejando
Jamais ocultar-se-á
És clara feito água de pântano

Traz dor
Sem se importar
Esvanece o rancor
Logo ele há de passar

Ame-a ou morra
Ela traz a salvação
Mesmo que por seus olhos escorra
Traga a verdade ao seu coração

Ela limpa a alma
Transforma o imo casto
Às vezes, chega e assola
Mas deixa fértil o seu campo vasto

Há de chegar a hora
Que irás deparar-se com ela
Não deixe sua vida ir embora
Não troque-a por quimeras

Em seu interno mora a verdade
Da sua razão de estar aqui
Não perca-se em vaidade
Busque a razão de existir

Só há um caminho
E somente uma verdade
Não perfure-se em seus espinhos
Antes sangre por liberdade

É no interno e é estreito
Seu espaço é limitado
Só passa a alma espelho
Com o amor adornado

Por Patricia C.