Ponto de luminescência
Caminhando por entre os mortos
Em seu relicário a essência
Traz o aroma de eterno corpos

Sementes estelares
À serem plantadas nos imos
Diversos luminares
A desvendar seu destino

Como luz identificar-se
Abrilhantar seu interno
Afim de lumiar-se
Ser um girassol amarelo

Inclinado ao seu sol
Melanina que não acaba
Fazer de seu céu Royal
Adornado com nuvens claras

Ser pés lamparinas
Clareando todo o caminho
Lançar amor brilhantina
Ser asa de passarinho

Digital em transparência
Vestido de seda clarão
Decorado em candência
Em luz banhou seu coração

Aurora atemporal
Hermenêutica da manhã
Refrescância divinal
Feito folha de hortelã

Vulcanizou-se ao resplendor
Desabrochou sua flor
Voejou alto como o condor
Por ter conquistado o amor

Identidade luz
Foi assim que apresentou-se
Um espelho que reluz
Supra sumo de fruta doce

E assim serás eternamente
Uma fonte de sapiência
Em seu universo incandescente
Infinita resplandecência

Por Patricia Campos