Sua temência a Deus era algo transcendental, a ponto de lutar com anjos e na própria pele sentir a benção celestial. Através de um sonho descobriu-se terra santa, uma escada que da terra subia ao céu, era a sua esperança, o seu rasgar do véu. E os anjos de Deus subiam e desciam naquele lugar, e ao acordar refletiu, quão tremendo é este meu lar. Trêmulo por perceber a importância da sua mente, o momento o fez compreender que ali plantou-lhe a semente, do desejo de cada vez mais aprofundar-se até que fosse abençoado, até que em uma visão ficou num impasse, uma luta, um destino cravado. Lutou com um anjo de Deus até a aparição da aurora, e o anjo vendo que não prevalecia contra ele, pediu-lhe que o deixasse ir embora, porém Jacó não o largou enquanto não lhe desse a benção, e vendo que não teria jeito o entregou, sua benção e um corte com um intento, tocando-lhe a juntura de sua coxa, deslocando-a para o que o liberta-se, deixando-o com uma perna manca, e por todos seus dias lembrar-se, de que era um guerreiro independente da sua trajetória, e que tudo o que passou até ali fora para seu próprio sustento, para sua vida eterna e sua glória. O anjo perguntou-lhe seu nome, e Ele o respondeu: Jacó! Disse-lhe: agora em diante, Israel serás dentre nós. E diante alguns significados, Israel é a consciência que a Deus vê, que luta contra Deus e contra os homens e sua vitória fez prevalecer, a compreensão enriquecida de amor, a luta que o elevou, esvanecendo sua dor, quando seu coração se entregou.

 

Por Patricia C.