Campo livre, lugar de muitos pássaros, onde as flores sublimes surgem em tons variados. Colore sua vastidão, o assobiar é canção, alegra o coração ecoando a transformação. A sabedoria passeia por este campo, faz exalar o perfume das margaridas, deixando um sorriso solto, e na tez recebe o carinho da brisa. Ampliar-se internamente, ser lar de estrela candente, tecer-se sutilmente, feito seda leve mente…


Em seu centro traz gigante cortina em águas, que escorrega sobre o alcantil, rio das gotas mais claras, e o vento com os chuviscos enlaçam de forma sútil. Uma mente aberta, seu deserto atravessa, de maneira tranquila, sem pressa, jamais seu tempo regressa. Sem correntes, sempre em frente, levemente e sorridente. Traduz os sinais do céu, não é corrompido em um pingo, desenha tudo em papel, almeja o paraíso. Com suas asas invisíveis sobrevoa as estrelas, possui poderes incríveis e usa-os com tanta destreza. É como céu aberto em plena estação do verão, é o infinito bem perto, um pedaço da imensidão.

Por Patricia Campos