És o verbo, dentre eles destaca-se o ser, de eternidade a eternidade, a vida que vem transparecer dentro de uma complexidade. O céu é a Sua morada, lugar este invisível aos olhos humanos, Excelentíssimo de muitas moradas, És nosso Rei desde aqui até o Seu plano. Parte consciente do espírito, um corpo crescente no infinito, Criador do universo finito, das galáxias, dos astros e a tudo deu um sentido.

Extraordinária Sua sabedoria, a forma que tece, que cria, de um átomo a uma estrela de quinta grandeza, Maestral de extrema pureza. Há quem pense que Ele não exista, de fato a tolice na consciência habita, tanta complexidade envolvida, e as almas discorrem perdidas. Dele provém a vida, e porcionou-a dentro de cada um de nós, na intenção de tornar nossas almas infindas, mas para isto é necessário deixarmos este mundo atroz. Não que este seja ruim por si mesmo, pois ele também foi criado por Deus para nós, mas a ligação que as consciências se submeteram, fizeram-nas ignorar o filho divino, enlaçando-as a tantos nós.

O planeta é maravilhoso, tantos detalhes pensou, mas individualizaram-se cometendo um crime doloso, o qual consiste em não conscientizar seu Criador. Ciência divina, nem mesmo os estudiosos entendem, uma simples gotícula de lágrima ninguém cria, mas quem o testifica e o compreende? Tantas espécies diferentes, tantos brotos, tantas sementes, tantos animais na terra, e no mar olha a quantidade de peixes, algo tão espetacular, tão surpreendente e ainda teve o dom de criar a criação que produz a mente, desta ninguém apercebe-se, e nem da Sua santa semente, é a consciência que o imo tece, e o espírito que habita na gente, mas quem a espelha e quem o sente?

Em tudo tem suas mãos e no interno o coração que pulsa por Sua vida que nos mostra Sua saída. Um dia o pó vira poeira e o espírito torna a Deus, a consciência que não agarrar-se a este, enfrentará um eterno breu, mas a que agarrar-se ao senhor, a Sua porção divina, adentrará como terra santa e herdará Sua sabedoria infinita.

Por Patricia Campos