Ao redor a multidão
Olhares distantes
Funestos em ilusão
Quiçá fossem cintilantes

Há muito, perdeu-se o brilho
Sua cor ainda desbota
Pelo sal que cai escorrido
Onde o riso esqueceu-se outrora

Pensei comigo: ficaste só
E não por opção
Quisera eu não sentir dó
Ao olhar cada coração

Restou-me a interpretação…
…Caminhar
O que ficou não volta não
Hei de continuar

Quem quiser ficar que fique
Eu não posso parar
Por mais que pareça triste
A alegria há de chegar

Meu olhar solitário
Vislumbra o caminho da liberdade
A leva arrasta os olhares ordinários
E eu sigo seguindo a verdade

De uma coisa tenho certeza
Não estou sozinha
Alegra-me a senhora destreza
Por ser minha companhia

Fez-me reconhecer
A vida que pulsa em meu imo
Dando-me oportunidade em ser
Traçando-me novo destino

Patricia C.