Diante a luz
Refletiu o espelho
Aurora vinda do Sul
Pulsava em tom vermelho

Do pó surgia o desejo
O poder da manifestação
Uma orquestra por um intento
A alma e a transposição

Tudo em conformidade
Harmonia e afinação
Majestosa complexidade
Mas quem convidou a ilusão?

Veio espelhar seus enganos
Mudando a direção
Descarrilhou todo o plano
E o espelho perdeu a razão

Afogou-se diante o medo,
Não conseguiu refletir-se
Anomalia por seu feito
Distúrbios veio sentir

Perdeu-se
À ponto de esquecer-se
Corrompeu seus interesses
Defeito causado na mente

Mesmo com tantos poderes
Não soube administrá-los
Escureceu seus deveres
Os direitos quis apossá-los

Trazendo-lhe transtornos
Repentina tribulação
Refletiu-se em escombros
Perdeu de vista a orientação

Estado mantido
Cárcere privado
Um fugitivo
Do seu próprio lado

Indestrutível será
Não terá como contar
O tempo subsistirá
Uma eternidade não apagará

Dentre choque
Ou hipnose
Memória perdida em toque
Doença que leva a morte

Mesmo depois, permanece
Conscientizou, esquece
O mal para o bem só reverte
Se o amor no interno floresce

Por Patricia C.