Instinto áspero
Fala intratável
Estúpido vasto
Descortês incansável

Semblante fechado
Coração frio
Maus tratos no ato
E um peito vazio

Quem quer que seja
Não sente-se bem
A alma almeja
Tornar-se zen

É preciso amar
Compreender o próximo
Colocar-se em seu lugar
E não destilar ódio

Onde pensa chegar
Com tamanha indelicadeza?
Deves civilizar-se
E tomar para si a destreza

Tornar-se leve
Levar leveza
O tolo fere
Por não encontrar em si a beleza

Tire seu olhar do chão
Olhe ao seu redor
Sinta o seu irmão
Para não findar-se só

A pessoa que é rude
Traz para si a dor
Necessário é que mude
E reverta-se em amor

Patricia C.