Teu espelho em mim refletiu
Viajei por teu interno
Olhar que ao brotar abriu
Tua triste flor de inverno

Adentrei em teu profundo
Busquei algumas respostas
Tentei derrubar o teu muro
Tentei abrir tua porta

Nas janelas da tua alma
Pude encontrar-te em mar
Salgadas são tuas águas
Mas há asas para voar

Aprofundei-me ainda mais
Senti então tua dor
Em ti mora teu cais
Tu és navegante em amor

Atraque-se em águas mansas
Paire em leveza tua alma
Enlaça-se com o céu e dança
A melodia que toca a calma

Se olhar nos meus olhos
Verás o sentido de igualdade
Acordarás dos teus sonhos
E abraçarás a liberdade

Seu espelhar demonstra
Quão cansativo é teu caminho
Não morreu em ti a esperança
Mesmo caminhando sozinho

Saiba que tua dor é minha
Sinto-me responsável
Não quero vê-la alma vazia
Mas eternamente infindável

Que em ti transborde vida
Que teu imo seja leve
Pinte-se de forma colorida
Que o arco-íris lhe tece

Tu tens uma imensidão
A qual deve desbravar
Mergulhe em seu coração
Não deixe de te amar

Por Patricia Campos