Minhas incógnitas
Transformadas em exclamação
Encenada por diversas formas
Sonhos, pela água ou visão

De mim
Bastava apenas a atenção
Cuidar para não ter fim
Dar reticências ao meu coração

Um novo parágrafo
Para minha trajetória
Meu texto autografado
Pelo autor da minha história

As indagações que criei
No meu interno as desvendei
Voos incríveis alcei
Quando não, eu mergulhei

Há nitidez
Para aquele que quer ver
Que foge da embriaguez
Ao ponto de morrer para viver

Delicadeza aguçada
Minuciosamente
Não há fala ensaiada
Mas as flores brotam da mente

E é então que a percepção
Torna-se aliada
Tudo vira canção
Com notas instrumentadas

E a cada tom pinga a gota
Que ao cair penetra a alma
No imo puro ecoa
Até que o interno vire alva

Expresso sinal
A olho nu, seu inverso
Não há ponto final
Há linguagem no retrocesso

De mim
Bastava apenas a atenção
Cuidar para não ter fim
Dar reticências ao meu coração

Por Patricia Campos