Avaliou-se
E viu quão precioso és
Espelhou-se
Em águas de igarapé

Transparência
Na face reflete verdade
Um imo em luminescência
Transpira de fato a liberdade

A veracidade lhe é peculiar
Sua especialidade é autenticidade
Vive a hermenêutica de amar
Tem afeição por qualidade

O brio corre por suas veias
Não tem a que envergonhar-se
Transborda sabedoria por sua candeia
És exemplo de como portar-se

Um livro aberto
Onde tudo se lê
Nada lhe é encoberto
Na tez tem honradez

Olhar sincero
Seu peito é puro abraço
Completamente íntegro e reto
Respeitabilidade tens por traço

Acatado em decência
És hostil ao pudor
Minucioso em prudência
Gigante és em amor

Ter caráter
Não é para um qualquer
Aquele que é covarde
Torna-se pétala de malmequer

Vergonha toma pra si
Quando põe-se em fraqueza
Jura a mentira até o fim
Jamais enxerga-se em franqueza

Reconheça cada ato
Por menor que ele seja
Revele-se, não seja falso
Tenha índole de nobreza

Por Patricia Campos