Sentir a hermenêutica da intensidade
Aguçada pelo coração
O qual pulsa tal sensibilidade
Ecoando a plenitude em emoção

E ao unir suas pálpebras
Vislumbra seu interno em mil cores
Arco íris em canção reverte em notas
E um jardim tão variado de amores

Valoriza cada suspiro
Sabendo eternizar a sua alma
Ter garantia que o perpétuo é seu alívio
Estar nas mãos de Deus, em Sua palma

Repleto em ternura
Ter os passos leves de bailarina
Tecido internamente em alvura
Como as pétalas da majestosa margarida

Completude em ser
Luz para resplandecer
Um alcantil em viver
E água para amolecer

Tornar-se a cura
Ultrapassar a linha finita
Revestir-se em candura
Ser a própria ação incontida

Viva plenamente
A vida plena na mente
Um amor incandescente
Te faz estrela candente

Dentre este plano finito
O provisório é certo e incerto
Há em seu imo um infinito
Que o faz ser morada do eterno

O qual é da vida o autor
Implantou em ti sua porção
A semente do Seu valor
Regada com sua intenção

Um broto vivificado
Dentro de uma terra Santa
Um universo espelhado
Pelos olhos de uma eterna criança

Por Patricia Campos