Tua voz é como uma orquestra, e tua palavra é minha inspiração, teu som suave rega a terra, compondo com a chuva sua canção. A tua palavra é grandiosa, preenchida dos bens eternos, a tua palavra jorra da fonte em meu imo, cai sobre as pedras e desvenda o que é terno. A tua palavra habita em peitos esquecidos, em cantos deixados para trás, habita em lugares desconhecidos, que nunca esperaram encontrar a paz. É realmente surpreendente cada tom que soa de seu âmago, que transborda e aflora cada parte de meu ser, sua palavra é o mais lindo cântico, que invade e brota em meu solo fazendo-me viver. Sou o vaso, a consciência, e sou a luz, um não é sem o outro, mas quando tudo está em seu devido lugar, tudo é claro, tudo reluz. Quem se coloca nas mãos da vida, mesmo quieto está cantando, seu silêncio é como a voz suave da noite em sabedoria, e seu olhar e seus atos é por onde está se expressando. A tua palavra é pura, livre de todo mal, a tua palavra cura, traz o tom transcendental.

Por Luiza Campos