A harpa soou
Sobre o peito de Davi
Ouvem o Eu Sou
Mas não enxergam seu porvir

Em Moriá fez seu holocausto
Dando aos céus seu coração
O altar é teu alvo
Sacrifício de Abraão

Nada és maior neste universo
Muito menos estátua de ouro
Três almas cantaram lindos versos
Não rebaixando-se diante falsos tesouros

Nada se faz árduo
Diante a glória à sua frente
O gólgota fez-se cenário
Sobre peito reluzente

Nada temia
Nem mesmo a falta da liberdade
Em seu imo voava com a sabedoria
E seu externo proclamando a verdade

Não temia ao faraó
Não rebaixando-se ao Nabucodonosor
A glória não é no pó
Não desistiam mesmo sentindo dor

Quem há de cumprir a prova dos céus
E viver sobre seu firmamento?
Hoje curvaram-se para o véu
Mesmo não sabendo seu intento

Sua face se esconde em meio a lua
E teu sorrir é muito pouco demonstrado
O olhar reflete sua alma nua
E teus passos sobre seu caminho paralisado

A palavra tem força
Mas a força não provém da palavra
Em pouco tempo faz-se sua forca
Por usar erroneamente suas águas

Encontre sua história
Perdida em teus desejos
Leia sua trajetória
Agindo certamente em seu ensejo

Por Luiza Campos ?