Gotas caricatas no papel
Traçadas a dedo escorregadio
Caindo água do céu
Trazendo arco-iris a desenho sombrio

Como tempo cortado
Sangrando pelos ferimentos
Abre-se um aliado
Do outro soprar do vento

Caindo sobre o solo
Gotas de raio solar
Trazendo seu peito ao colo
Do ser que não pode-se enxergar

O infinito fez-se casa
A eternidade um quadro
Onde pinta-se asas
Liberdade em seus traços

Amarelo em tela
Descrevendo a luminescência
De girassol em queda
Voando rumo a sapiência

Bonança em pétalas
Exalar do doce mel
Transbordando fora de cela
Transpondo o limite do véu

Luzerna candescente
Luminosa como as estrelas
Ultrapassando a sabedoria da mente
Encontrando novas órbitas para os planetas

Aprofundando-se no mar
Nas profundezas do oceano
És peito a bailar
Dançando seu encanto

Navega sem medo de afundar
Ultrapassando as grandes ondas
És golfinho a nadar
Ouvindo sua voz em concha

Em cima da corda-bamba
Dançando com o eterno
É a essência de uma criança
Brincando com o sempiterno

Rabisca sua história
Dando uma bela moral
Mesmo pintando fora da borda
És lindo seu conto final

Essência de girassol
Gira em torno da luz
Alto clarão vindo do sol
Ouvindo a voz de quem lhe conduz

Por Luiza Campos