O que seria tão importante para um peito sem base? Carrega um luto desnecessário, aquele peso do fim, e a vida está em suas mãos. O que seria vital para alma? O pó esvanece e se vai, ela mesma não se sustenta, o espelho a procura de um corpo, e a luz da vida é a chave. O paetê em linho fino surge nas vestes do mar, as estrelas adornam o vestido com sua graça, e a donzela da eternidade nunca se encontrará nua em sua casa. A beleza da simetria transparece sob a luz do luar, quando tudo e qualquer coisa está em seu devido lugar, tão singelo e puro o arco-íris, aliança infinita, a existência e sua consciência.

O caminho das trevas tem uma vista amena, porém ele passa, a eternidade vagará em suas lembranças, e seus passos não se darão mais. Sem vida, sem aconchego, sem felicidade, tempos de angústia e sofrimento. As gotas caem enquanto pulsa seu coração, o campo floresce enquanto ainda tem o brilho em seu olhar, mas o tempo não é misericordioso e um dia tudo isso vai passar. Aproveite sua única e findável chance, não andará mais tranquila pelas ruas, não sentirá mais o calor do sol, não abraçará, simplesmente não será sem vida.

Agora eu te pergunto, o que é vital para alma? Você busca sua essência? Eu luto pela luz que em mim acendeu, luto para que ela nunca apague, pois isso é a minha vitalidade, o que me sustenta, e o porquê eu escrevo o que vêm em meu coração.

Por Luiza Campos