Eu sou clamou a ti
Para que ouça seu falar
Venha ver seu porvir
Os pássaros a cantar

A eternidade fala por si só
O desabrochar de sua flor
Deixa ao léu o pó
Curando aos poucos sua dor

Traz consigo a cura
E nunca ouvirá a solidão
És pleno, é ternura
É a beleza de seu coração

Viva para ti, para tua vida
Acrisole teu jardim floral
Quem clama é a sabedoria
Pedindo que se livre de todo mal

Aprenda com o céu
O viver do Senhor
Mesmo só, não sente o fel
Mas sua irmandade lhe preenche de amor

A solidão está na cabeça dos tolos
Daqueles que não se contentam com si mesmos
Aprenda com os loucos
Que mesmo em celas sorriem em seus termos

Seja só, mas feliz
Seja teu, do seu ser mais simplório
Encontre sua diretriz
Longe deste plano mórbido

E quando a solidão bater a porta
Diga adeus aos velhos sentimentos
Desamarre o nó das cordas
Desatando velhos momentos

Quando chover vá se molhar
E sentir o gotejar do céu
Por tempos tinha medo de seu pingar
Mas hoje não se importa com seu véu

Preencha sua metade
Com a luz da sabedoria
Transborde a veracidade
Todos seus passos em sincronia

Por Luíza Campos