Alcançar o pico dos céus
Enxergar o inimaginável
Não se descreve em papel
Este tom inexplicável

Difícil é expressar
Liberdade em peito celeste
Se fazem lar
Novo ser e novas vestes

Voar com a liberdade
Dar as mãos a alegria
Compromisso com a verdade
Passos cheios de destreza em sabedoria

O dom da vida lhe acendeu
Como luzes pela eternidade
Tão belo que amanheceu
Uma nova fala com veracidade

As celas não são vistas
Desenha coisas belas
Universo em sintonia
Traçou o bem em sua tela

Voar nas alturas
Como os passarinhos
Revestir-se com a alvura
Encontrou um novo caminho

Isto tudo em seu peito
Nas entranhas de seus pensamentos
Suas correntes não se veem em seu leito
Construindo novos momentos

A luz da vida acena para o espelho
Ela se faz todo o bem de sua alma
Sua simetria, ser inteiro
A liberdade vinda das puras águas

Por Luiza Campos