Meu senhor, Espírito, Meu amor.

Sou como um pássaro novo, Que ainda toma forças pra voar.

Como um recém-nascido, Que de passinho em passinho, Aprende a andar.

Hoje vejo coisas, Que d’antes não podia enxergar.

Vejo o propósito de Deus, E sei que é esse o caminho a se trilhar.

Ainda lento, Posso sentir tua força me tomando, E os medos que me atormentavam, Do meu peito já estou retirando.

Sinto a paz que exala de ti, Fecho os olhos, E sinto, Alegria que até antevi.

Hoje, O mundo já me é tão desconexo, Que não vejo, nenhum reflexo, De qualquer vestígio de nexo, Nem nada que me pareça conexo.

Sei que um dia, Abrirei minha boca, E dela sairão palavras lindas, Vindas dos céus.

Mas até lá Senhor, Dê-me a sabedoria, Para que eu possa agir de acordo, Com a tua vontade.

Em ti, Encontrei a minha liberdade.

Luto por ela, Por essa verdade, E já sinto a vitória, A glória, Serei tua parte.

Que eu seja pra ti, Meu senhor, Como o barro, Que se transforma num vaso, Que atende as exatas expectativas, Do oleiro, seu criador.

Que o senhor me tome, Que eu fale, cante, escreva, Por ti.

Tira de mim, O que me tira de ti, E coloca em mim, O que me coloca em ti,

Senhor A ti, declaro o meu amor, Com todo o amor, Dedicado a ti, Meu amor, Espírito que em mim vive, Meu senhor.

Que as tuas vestes, Me sirvam, Me vistam, E aqueçam.

Que eu me torne outro ser, Não somente semelhante, Mas de fato, o teu espírito, Em sua forma mais radiante.

Que eu seja como um guerreiro, Carregando no peito, A tua palavra.

Que eu vista o elmo, Carregue escudo, Empunhe a espada.

Me conduz pelo caminho da vida, E que eu siga pelo teu amor.

Me ensine e me eduque, Nos estatutos do senhor.

Com muito amor escrevo, A ti, espírito, meu amor, Um dia farei parte, Do teu eterno corpo, Meu senhor.