Nossa! Em quem confiar nessa Terra? Eu não vejo ninguém aqui para depositar a minha confiança e nem quero, até porque já quebrei muito a cara por acreditar em pessoas que eu pensava ser confiáveis, mas isto foi uma ingenuidade da minha parte em procurar credibilidade em pessoas deste mundo que tão pouco vive a confiança e estou citando os de fora imagine a própria “dita família”? Nossa! Essa sim quebra todos os recordes de falsidade, pois são as pessoas que eu dizia mais confiar e no entanto são os que mais me ferem com suas ações, mas daí você diz: a família é a base de tudo, eu digo: base do que? Da pilantragem, da maldade em seus corações? De te lascar por trás e pela frente dá uma de bem me quer? Caí fora, me enchi de tanta hipocrisia dessa gente que de passo em passo estou descartando de minha vida.
Eu encontrei um amigo verdadeiro, um fiel ombro para conversar, uma mão que posso segurar e sem ter medo de me jogar, pois sei que serei abrigada, assim como já estou sendo por um grande amigo que veio do céu, ele me conforta debaixo de suas asas, entre seus braços e seu colo, nele confio o meu andar, pois tenho a certeza que não deixará eu tropeçar nas ilusões desta vida louca, durmo em meio a cobras e leões, mas aquele que vive em mim e desperta a ira de meus inimigos nunca descansa, pois ele me zela e me guarda enquanto meus olhos estão fechados, pois no alto de meu monte eu lhe entreguei o meu coração para exatamente tu meu senhor escrever as suas palavras na palma de minha mão e unida com a sua tornarei-me eterna com a vida do meu senhor tornando assim uma aliança perpétua e feliz.

Por Maria Lucia