Apesar de todas as perseguições que nosso irmão Jesus sofria, ele era firme, lutava por Deus, levava a palavra da verdade do Pai aos doentes e a todos que apareciam para ouvi-lo. Jesus na sua pregação despertou a ira dos grandes religiosos da época, pois a verdade ia contra todos os que se diziam serem de Deus e com isso os corações dos poderosos enchiam-se de ódio da pessoa de Jesus e todos desejavam ver a sua morte. Os tolos logicamente não o compreendia, pois ele falava pelo espírito, assumindo-o por pessoa e todos ali sem nenhuma compreensão achavam que ele blasfemava contra Deus, mas Jesus com toda raiva que o povo sentia dele, ele tinha amor por todos eles, os compreendiam perfeitamente, pois ele enxergava o que ninguém enxergava. Eram cegos cobertos pelo engano, mas o amor por todos nunca deixou de reinar na consciência do homem Jesus.

As perseguições eram constantes contra ele, ele já sentia o que lhe poderia acontecer, tanto é que disse: Pai se possível for afasta de mim este cálice, mas que não seja feita a minha vontade, mas a vontade do Pai que estás no céu. E apesar de sentir a morte chegando, Jesus estava em paz, sereno, nada lhe perturbava, nada lhe tirava a calma, pois o seu coração estava ligado no céu, no Pai. Jesus não tinha nenhuma preocupação com o que lhe podia acontecer na carne, pois sua consciência estava nas mãos de Deus, guardada e protegida por Deus, e o que Jesus poderia temer se a sua alma estava nas mãos do Senhor? A morte lhe veio com muita dor, todos lhe furavam, jogavam pedras, batiam, cuspiam, todos os que lhe odiava não perderam a oportunidade de tirar o seu sangue, mas apesar das terríveis dores que sentia na carne, Jesus tinha amor com aqueles que lhe matavam, tanto é que disse: Pai perdoa estes, pois não sabem o que estão fazendo.

Esse era o sentimento do amor de Deus, de compreensão aos cegos e tolos, mas nada, nem a forma da sua morte tirou a sua paz, calma, serenidade e tranquilidade, pois a Deus disse: Pai glorifiquei-te na Terra concluindo a obra que me destes a fazer com honra e glória, agora glorifica-me Tu ó Pai…e ali onde estava sendo morto, a sua carne padecia, Jesus deu seu último suspiro e disse: Pai recebe o meu espírito. E porque Jesus disse isto? Porque ele sabia que a sua alma estava nas mãos de Deus, este era o sentimento que Jesus tinha, o seu espírito nas mãos do Pai…e nela, na sua consciência ninguém pôs as mãos, porque quem cuidava dela era Deus, e o Pai o recebeu com todo amor. O céu fez festa para receber o herdeiro que nascia no céu.

Por Maria Lucia